Incidência de doença trofoblástica gestacional nos anos de 2007 a 2011 em um hospital público da região do Cariri

Conteúdo do artigo principal

Mônica Kallyne Portela Soares
Juliana Fechine Braz de Oliveira
Mayara Amanda de Oliveira

Resumo

Objetivo: determinar a incidência de Doença Trofoblástica Gestacional (DTG) e descrever o perfil das mulheres acometidas em relação às formas clínicas, tratamento e seguimento pós-molar. Métodos: Tratou-se de um estudo de natureza documental, exploratória, retrospectiva e quantitativa, cuja coleta de dados se realizou através da observação sistemática de doze prontuários de mulheres acometidas por DTG, entre os anos de 2007 a 2011, em um hospital de referência da região do Cariri, no Ceará, respeitando aspectos éticos e legais sobre pesquisas envolvendo seres humanos. Resultados: Os resultados mostraram que uma a cada 100 gestantes que deram entrada no hospital por complicações decorrentes no primeiro trimestre de gravidez foram acometidas por DTG, e, destas, 58% eram mulheres entre 16 e 19 anos e 50% nulíparas. Conclusão: evidenciou-se a necessidade de um olhar preciso para análise dos casos suspeitos com o intuito de diagnóstico precoce e prevenção do surgimento ou recorrência da DTG, tornando-se indispensável, para tal, a realização do seguimento pós-molar em todas as mulheres com diagnóstico confirmado e tratamento efetuado.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Kallyne Portela Soares M, Fechine Braz de Oliveira J, Amanda de Oliveira M. Incidência de doença trofoblástica gestacional nos anos de 2007 a 2011 em um hospital público da região do Cariri. Cadernos ESP [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 9º de dezembro de 2022];9(1):35-41. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/91
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Mônica Kallyne Portela Soares

Graduação em Enfermagem. Especialista em Gestão em Saúde. Docente
do Curso de Enfermagem da Faculdade Princesa do Oeste.

Juliana Fechine Braz de Oliveira

Graduação em Enfermagem. Especialista em Enfermagem Obstétrica.
Docente do Curso de Enfermagem da Faculdade Leão Sampaio – FALS.

Mayara Amanda de Oliveira

Graduação em Enfermagem. Coordenadora do Bloco Cirúrgico e Centro de
Material e Esterilização do Hospital Regional Fernando Bezerra, em Ouricuri
– PE.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.