Descrição do Perfil Epidemiológico da Tuberculose no Estado do Ceará, 2011 a 2016
PDF

Palavras-chave

Vigilância Epidemiológica
Tuberculose
Perfil epidemiológico

Como Citar

1.
Izabel Lopes M, Kessiene de Sousa Cavalcante K, Maria Santiago Borges S. Descrição do Perfil Epidemiológico da Tuberculose no Estado do Ceará, 2011 a 2016. Cadernos ESP [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 25º de janeiro de 2022];11(2):18-25. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/116

Resumo

Descrever o perfil epidemiológico da tuberculose no estado do Ceará, no período de 2011 a 2016. Estudo descritivo, transversal, com dados extraídos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação e Sistema de Informação sobre Mortalidade. Os dados foram tabulados no Tabwin e exportados para planilhas do Excel para análise. O maior coeficiente de incidência foi no ano de 2011 (43,2%). A taxa de abandono do tratamento manteve-se alta, fechando com 4,3% em 2016. A taxa de mortalidade reduziu de 2,8 em 2011 para 1,7 em 2016. Nos exames de HIV, houve o crescimento de 10,1%, passando de 57,2% para 67,3%. A coinfecção aumentou de 6,4% em 2011 para 8,5% em 2016. Os contatos examinados com confirmação laboratorial apresentaram queda de 67,4% em 2011 e 54,3% em 2016. No Ceará, a tuberculose se apresenta de forma endêmica, sendo necessária a realização de estratégias para minimizar os impactos da doença e reduzir o número de óbitos, abandonos e aumentar o percentual de cura.

PDF