Descrição do Perfil Epidemiológico da Tuberculose no Estado do Ceará, 2011 a 2016

Conteúdo do artigo principal

Maria Izabel Lopes
Kellyn Kessiene de Sousa Cavalcante
Sheila Maria Santiago Borges

Resumo

Descrever o perfil epidemiológico da tuberculose no estado do Ceará, no período de 2011 a 2016. Estudo descritivo, transversal, com dados extraídos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação e Sistema de Informação sobre Mortalidade. Os dados foram tabulados no Tabwin e exportados para planilhas do Excel para análise. O maior coeficiente de incidência foi no ano de 2011 (43,2%). A taxa de abandono do tratamento manteve-se alta, fechando com 4,3% em 2016. A taxa de mortalidade reduziu de 2,8 em 2011 para 1,7 em 2016. Nos exames de HIV, houve o crescimento de 10,1%, passando de 57,2% para 67,3%. A coinfecção aumentou de 6,4% em 2011 para 8,5% em 2016. Os contatos examinados com confirmação laboratorial apresentaram queda de 67,4% em 2011 e 54,3% em 2016. No Ceará, a tuberculose se apresenta de forma endêmica, sendo necessária a realização de estratégias para minimizar os impactos da doença e reduzir o número de óbitos, abandonos e aumentar o percentual de cura.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Izabel Lopes M, Kessiene de Sousa Cavalcante K, Maria Santiago Borges S. Descrição do Perfil Epidemiológico da Tuberculose no Estado do Ceará, 2011 a 2016. Cadernos ESP [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 13º de agosto de 2022];11(2):18-25. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/116
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Maria Izabel Lopes

1 Graduada em Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú-
UVA. Especialista em Serviços de Saúde e Auditoria pela Faculdade Padre
Dourado-FACPED; Assessora Técnica do Programa Estadual de Tuberculose
da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará.

Kellyn Kessiene de Sousa Cavalcante

2 Graduada em Medicina Veterinária. Especialista em Vigilância e Controle
de Endemias pela Escola de Saúde Pública; e Processos Educacionais na
Saúde pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês; Mestra
em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará; Assessora Técnica
do CIEVS/NEVEP Ceará.

Sheila Maria Santiago Borges

3 Graduada em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza; Especialista
em Gestão em Saúde (FIOCRUZ); Especialista em Educação na Saúde
para Preceptores do SUS (Instituto Sírio-Libanês) e Especialista em
Saúde Pública (Faculdade de Tecnologia Evolução); Mestre em Ciências
da Saúde pela Universidade de San Lorenzo; Coordenadora do Programa
da Tuberculose do Estado do Ceará e Supervisora do Núcleo de Vigilância
Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)