EVENTOS ADVERSOS RELACIONADOS COM A ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO CEARÁ

  • Ediléia Marcela Dutra da Cunha Enfermeira. Especialização em Vigilância Sanitária.
  • Laécia Gretha Amorim Gomes Bióloga. Doutora em Saúde Coletiva.
Palavras-chave: Vigilância Sanitária, Segurança do Paciente, Evento adverso, Notificação

Resumo

Milhares de pessoas sofrem eventos adversos decorrentes da assistência à saúde, resultando em morbimortalidade evitáveis, além de gastos adicionais aos sistemas de saúde. A pesquisa teve como objetivo analisar os eventos adversos relacionados com a assistência à saúde notificados no NOTIVISA 2.0 a partir da frequência e descrição dos never events e óbitos. Tratou-se de estudo exploratório-descritivo com abordagem quantitativa, sobre os eventos adversos ocorridos no Ceará em 2018. A pesquisa mostrou que foram notificados 3.341 eventos adversos. Destes, (29/ 0,9%) never events e (11/ 0,3%) óbitos. Úlcera por pressão foi o evento adverso mais frequente (804/ 24%). As pessoas que mais sofrem never events e óbitos são do sexo masculino (23/ 57,5%), a partir de 26 anos e idosos (31/ 87,5%), com doenças do aparelho respiratório (10/ 25%). Os never events e óbitos ocorreram nos hospitais (36/ 90%), nos setores de internação (21/ 52,5%) e UTI (14/ 35%), durante a prestação dos cuidados (31/ 77,5%), durante o dia (07:00h às 19:00h= 23/ 57,5%). Ocorreram eventos adversos graves, inclusive never events e óbitos. A pesquisa sinalizou para intervenções do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária com vistas ao fortalecimento da vigilância dos eventos adversos no Ceará.

Publicado
2019-12-19