Implantação das Políticas Públicas de Provimento e Fixação de Médicos no Ceará

Conteúdo do artigo principal

Marco Túlio Aguiar Mourão Ribeiro
Renan Magalhães Montenegro Junior
Tatiana Monteiro Fiuza
Frederico Fernando Esteche
Barbarah Nogueira Rebouças
Ivana Cristina de Holanda Barreto
Geziel dos Santos de Sousa
Marcelo José Monteiro Ferreira

Resumo

A partir de 2011, os Ministérios da Saúde e da Educação instituíram programas para prover e fixar os profissionais médicos na atenção primária do Brasil. Este artigo tem como objetivo trazer um relato da implantação destes programas no Ceará a partir de 2012. Trata-se de um estudo descritivo, realizado através de análise documental e coleta de dados que relata a experiência da implantação e implementação dos programas de provimento no estado do Ceará, compreendendo o período entre 2012 e 2016. O Ceará possui, atualmente, 2.352 equipes de saúde da família implantadas, sendo que mais da metade destas são vinculadas aos programas de provimento. Observou-se que 69% dos médicos trabalham nos municípios classificados como G100 e Pobreza. Por meio deste relato de experiência, pode-se considerar a possibilidade de ampliação do número de equipes de saúde da família, capacitando a oportunidade do provimento de médicos para municípios classificados como de extrema pobreza e vulnerabilidade no interior do estado, além de promover a longitudinalidade do cuidado.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Aguiar Mourão Ribeiro MT, Magalhães Montenegro Junior R, Monteiro Fiuza T, Fernando Esteche F, Nogueira Rebouças B, de Holanda Barreto IC, dos Santos de Sousa G, Monteiro Ferreira MJ. Implantação das Políticas Públicas de Provimento e Fixação de Médicos no Ceará. Cadernos ESP [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 5º de dezembro de 2022];12(1):92-104. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/160
Seção
Relato de Experiência, Atualização e/ou Inovação Tecnológica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)