PREVALÊNCIA E CARACTERIZAÇÃO DOS ACIDENTES VIÁRIOS AUTOMOBILÍSTICOS NO NORDESTE BRASILEIRO: RESULTADOS DA PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE - PNS, 2013

Prevalence and characterization of automobilistic road accidents in northeast brazil: results of the Pesquisa Nacional de Saúde - PNS, 2013

  • Tamires Feitosa de Lima Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Raimunda Hermelinda Maia Macena Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Rosa Maria Salani Mota Universidade Estadual do Ceará – UECE
Palavras-chave: Prevalência, Acidentes de Trânsito, Automóveis, Inquéritos Epidemiológicos

Resumo

OBJETIVO: Estimar a prevalência e descrever os Acidentes Viários Automobilísticos (AVA) com lesão corporal no Nordeste brasileiro, em 2013. MÉTODOS: Estudo Seccional e exploratório, utilizando dados secundários de 591 indivíduos, de ambos os sexos e acima de 18 anos, residente na região Nordeste oriundos da PNS – 2013. Os dados foram extraídos do banco nacional (IBGE), padronizado e analisado pelo SPSS®, versão 20®. RESULTADOS: No Nordeste, 93 pessoas (14,3%) autorrelataram AVA com lesões corporais. Apesar da região apresentar a menor taxa (14,3%) possui o 3º maior número absoluto de casos. Dentre os AVA, 25,6% ocorreram no trajeto para o trabalho, 21,1% durante o trabalho, 22,6% das vitimas deixaram de realizar suas atividades habituais, 27,3% necessitou de assistência de saúde, 2,2% necessitou de internamento por 24 horas ou mais e 9,3% tiveram/tem algum sequela. CONCLUSÃO: A prevalência de AVA na região Nordeste é a menor do Brasil. Os AVA estão relacionados aos acidentes de trabalho, causando incapacidade para atividades habituais, demandando assistência de saúde. Conhecer a magnitude do AVA é importante para possibilitar o direcionamento de novas políticas públicas em saúde e visibilizar o problema.

PALAVRAS-CHAVE: Prevalência. Acidentes de Trânsito. Automóveis. Inquéritos Epidemiológicos.

 

Abstract

Objective: To estimate the prevalence and describe Automobile Road Accidents (AVA) with bodily injury in Northeast Brazil, in 2013. Methodology: Sectional and exploratory study, using secondary data from 591 individuals, of both sexes and above 18 years old, residing in the Northeast region from PNS - 2013. Data were extracted from the national bank (IBGE), standardized and analyzed by SPSS®, version 20®. Results: In the Northeast, 93 people (14.3%) self-reported AVA with bodily injuries. Although the region has the lowest rate (14.3%) it has the 3rd highest absolute number of cases. Among the AVA, 25.6% occurred on the way to work, 21.1% during work, 22.6% of the victims stopped performing their usual activities, 27.3% needed health care, 2.2% needed hospitalization for 24 hours or more and 9.3% had / have some sequelae. Conclusion: The prevalence of VLE in the Northeast is the lowest in Brazil. The AVA are related to accidents at work, causing incapacity for usual activities, requiring health care. Knowing the magnitude of VLE is important to enable a deeper look at the problem, in order to direct new public health policies.

KEYWORDS:  Prevalence. Traffic-accidents. Automobiles. Epidemiological Inquiries.

 

Resumen

Objetivo: Estimar la prevalencia y describir los accidentes automovilísticos (AVA) con lesiones corporales en el noreste de Brasil, en 2013. Métodos: Estudio seccional y exploratorio, utilizando datos secundarios de 591 individuos, de ambos sexos y mayores de 18 años, que residen en el Región noreste de PNS - 2013. Los datos fueron extraídos del banco nacional (IBGE), estandarizados y analizados por SPSS®, versión 20®. Resultados: En el noreste, 93 personas (14.3%) autoinformaron AVA con lesiones corporales. Aunque la región tiene la tasa más baja (14.3%) tiene el tercer número absoluto más alto de casos. Entre los AVA, el 25.6% ocurrió en el camino al trabajo, el 21.1% durante el trabajo, el 22.6% de las víctimas dejaron de realizar sus actividades habituales, el 27.3% necesitó atención médica, el 2.2% necesitó hospitalización por 24 horas o más y 9.3% tuvo / tiene algunas secuelas. Conclusión: La prevalencia de VLE en el noreste es la más baja en Brasil. Los AVA están relacionados con accidentes en el trabajo, que causan incapacidad para las actividades habituales y requieren atención médica. Conocer la magnitud de VLE es importante para permitir una mirada más profunda al problema, a fin de dirigir nuevas políticas de salud pública.

PALABRAS CLAVE: Prevalencia. Accidentes de Tráfico. Automoviles. Encuestas Epidemiológicas.

Biografia do Autor

Tamires Feitosa de Lima, Universidade Federal do Ceará - UFC

Graduada em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza - UNIFOR. Mestre em Saúde Pública pela Universidade Federal do Ceará - UFC. Especialista em Ativação de Processos de Mudança na Formação Superior de Profissionais de Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca - ENSP/ Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz. Tutora e apoio à coordenação geral do setor de ensino do Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Atenção Hospitalar à Saúde - RESMULTI, do Complexo dos Hospitais Universitários, da UFC. Membro efetivo do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Violência, Promoção da Saúde e Populações Vulneráveis da Universidade Federal do Ceará - UFC. Linha de Pesquisa: Epidemiologia, Promoção da Saúde, Populações Vulneráveis e Prevenção da Violência e Acidentes.

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3300-2366

Raimunda Hermelinda Maia Macena, Universidade Federal do Ceará - UFC

Graduada em Enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará (1995), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade de Fortaleza (2001), doutorado em Ciências Médicas (2009) e pós-doutorado em saúde coletiva e sistema prisional (2015) pela Universidade Federal do Ceará. Docente associado I da Universidade Federal do Ceará. Coordena o grupo de pesquisa Violência, promoção da saúde e populações vulneráveis com as seguintes linhas: 1. Avaliação do processo saúde-doença e da violência em grupos socialmente vulneráveis; 2. Estratégias interdisciplinares em promoção e prevenção em saúde junto a grupos socialmente vulneráveis e 3. Violência, segurança pública e promoção da saúde. Membro do NDAE da Residência multiprofissional e uniprofissional da saúde dos hospitais universitários da Universidade Federal Do Ceará e coordenadora didático-pedagógica da área de concentração Assistência em Terapia Intensiva. Membro do NDE do curso de graduação em Fisioterapia desde 2010.

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3320-8380

Rosa Maria Salani Mota, Universidade Estadual do Ceará – UECE

Graduada em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1975), mestrado em Estatística pela Universidade de São Paulo (1982) e Doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Ceará (2012). É professora Associado II da Universidade Federal do Ceará e professora Associado da Universidade Estadual do Ceará. Membro efetivo do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Violência, Promoção da Saúde e Populações Vulneráveis da Universidade Federal do Ceará - UFC.

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3347-8372

Publicado
2020-06-29