A ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO NÚCLEO AMPLIADO DE SAÚDE DA FAMÍLIA E ATENÇÃO BÁSICA (NASF - AB)
PDF

Palavras-chave

Saúde Mental
Atenção Básica
Psicologia

Como Citar

1.
Tavares Gonçalves S, Juliana Maria Pereira Diógenes. A ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO NO NÚCLEO AMPLIADO DE SAÚDE DA FAMÍLIA E ATENÇÃO BÁSICA (NASF - AB) : THE PSYCHOLOGIST’S PERFORMANCE IN THE EXPANDED FAMILY HEALTH AND BASIC CARE CENTER (NASF - AB). Cadernos ESP [Internet]. 30º de dezembro de 2020 [citado 7º de dezembro de 2021];14(2):15-23. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/432

Resumo

Este estudo objetiva compreender a atuação do psicólogo na Atenção Básica, no sentido de conhecer o trabalho desenvolvido em equipe multiprofissional e de forma interdisciplinar; como  as potencialidades e fragilidades encontradas nesse espaço laboral. Esta pesquisa é de abordagem qualitativa. Foi realizada a análise do conteúdo a partir das considerações apresentadas por psicólogas que trabalham no Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF - AB) de três municípios localizados no interior cearense.  Os dados foram coletados por meio da aplicação de entrevistas semiestruturadas. O material analisado foi organizado e discutido a partir de duas categorias: atuação em equipe multiprofissional e em rede; cenário de prática: potencialidades e fragilidades. Os resultados apontam que, no recorte territorial analisado, a psicologia tem encontrado desafios/dificuldades em romper com práticas tradicionais, contudo vem se apropriando das possibilidades de atuação a partir do Apoio Matricial para atender às demandas de saúde mental da população assistida.

ABSTRACT
This study aims to understand the psychologist’s performance in Primary Care, in the sense of knowing the work developed in a multidisciplinary team and in an interdisciplinary way; as the strengths and weaknesses found in this work space. This research has a qualitative approach. Content analysis was carried out based on the considerations presented by psychologists who work at the Brazilian Family Health Expanded Center of and Basic Care (NASF – AB) in three municipalities located in the interior of Ceará. The data were collected through the application of semi-structured interviews. The analyzed material was organized and discussed from two categories: performance in a multidisciplinary team and in a network; practice scenario: strengths and weaknesses. The results show that, in the analyzed territorial area, psychology has encountered challenges / difficulties in breaking with traditional practices, however it has been appropriating the possibilities of action based on Matrix Support to meet the mental health demands of the assisted population.
Keywords: Mental health. Primary Care. Psychology.

RESUMEN
El objetivo de este estudio es comprender el desempeño del psicólogo en Atención Primaria, en el sentido de conocer el trabajo desarrollado en un equipo multidisciplinario y de manera interdisciplinaria; como las fortalezas y debilidades encontradas en este espacio de trabajo. Esta investigación tiene un enfoque cualitativo. El análisis de contenido se realizó con base en las consideraciones presentadas por psicólogos que trabajan en el Núcleo Extendido de Salud Familiar y Atención Primaria (NASF - AB) en tres municipios ubicados en el interior de Ceará. Los datos fueron recolectados mediante la aplicación de entrevistas semiestructuradas. El material analizado fue organizado y discutido en dos categorías: desempeño en un equipo multidisciplinario y en una red; escenario de práctica: fortalezas y debilidades. Los resultados muestran que, en el territorio analizado, la psicología ha encontrado desafíos / dificultades para romper con las prácticas tradicionales, sin embargo, se ha apropiado de las posibilidades de acción basadas en Matrix Support para satisfacer las demandas de salud mental de la población asistida.
Palavras-Clave: Salud Mental; Atención Básica; Psicología.

PDF

Referências

Fleury S. Reforma sanitária brasileira: dilemas entre o instituinte e o instituído. Ciênc Saúde Coletiva. 2009;14(3): 743-752. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000300010>. Acesso em: 20 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 19 set. 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Campos GWS, et al. Reflexões sobre a atenção básica e a Estratégia de Saúde da Família. In: Campos GWS, Guerrero AVP. (Org.). Manual de Práticas de Atenção Básica: saúde ampliada e compartilhada. São Paulo: Hucitec; 2010.

Ayres JRCM. Cuidado e reconstrução das práticas de saúde. Interface. 2004:8(14):73-92. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832004000100005>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Ministério da Saúde. Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2008. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt0154_24_01_2008.html>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Ministério da Saúde. Portaria nº 3.124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) Modalidades 1 e 2 às Equipes Saúde da Família e/ou Equipes de Atenção Básica para populações específicas, cria a Modalidade NASF 3, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2012. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt3124_28_12_2012.html>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2017. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF; 2012. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio Saúde da Família. Cadernos de Atenção Básica, n. 27. Brasília, DF; 2010.

Dimenstein M, Macedo JP. Formação em Psicologia: requisitos para atuação na atenção primária e psicossocial. Psicol Cienc Prof. 2012; 32: 232-245. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1414-98932012000500017>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Minayo MCS. O desafio da pesquisa social. In: Minayo MCS, Deslandes SF, Gomes R. (Org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes; 2009, p. 9-29.

BRASIL – Divisão Regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias : 2017 / IBGE, Coordenação de Geografia. - Rio de Janeiro; 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2020.

Deslandes SF. O projeto de pesquisa como exercício científico e artesanato intelectual. In: Minayo MCS, Deslandes SF; Gomes R. (Org.) Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes; 2009, p. 31-60.

Minayo MCS. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes; 2011.

Scherer MDA, Pires DEP, Jean R. A construção da interdisciplinaridade no trabalho da Equipe de Saúde da Família. Ciên Saúde Col. 2013. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232013001100011&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Böing E, Crepaldi MA. O psicólogo na Atenção Básica: Uma incursão pelas políticas públicas de saúde brasileiras. Psic Cienc Prof. 2010;30(3):634-649. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1414-98932010000300014>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Freire FMS, Pichelli AAWS. O psicólogo apoiador matricial: Percepções e práticas na Atenção Básica. Psic Cienc Prof. 2013;33(1): 162-173. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1414-98932013000100013.2013>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Oliveira IF, et al. A atuação do Psicólogo nos NASF: desafios e perspectivas na Atenção Básica. Temas em Psicologia. 2017;25(1):291-304. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v25n1/v25n1a17.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Leite DC, Andrade AB, Bosi MLM. A inserção da Psicologia nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Physis: Rev Saúde Col [online]. 2013;23(4): 1167-1187, 2013. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0103-73312013000400008>. Acesso: 20 abr. 2020.

Oliveira PRS, et al. Novos olhares, novos desafios: vivências dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família em Fortaleza - CE. Cadernos ESP. 2012;6(1): 54-64. Disponível em: <https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/39/48>. Acesso em: 20 abr. 2020.

Takei RF, Hupsel TM, Schnitman LV. Psicologia na Atenção Primária em Saúde: NASF. In: Hupsel TM, Schnitman LV. Psicologia da Saúde: da atenção primária à atenção hospitalar. Salvador: Sanar; 2017.

Rumin CR. Notas para a história da psicologia da saúde. Est Interdisc Psic. 2013;4(1): 30-45. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/eip/v4n1/a04.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2020.