O PAPEL DO FARMACÊUTICO CLÍNICO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ADULTO

Conteúdo do artigo principal

Antonio Kennely Pires Grangeiro
Mônica de Oliveira Belém

Resumo

Tratar da importância do farmacêutico clínico para uma unidade de terapia intensiva, elucidando a farmácia clínica, assim como o seguimento farmacoterapêutico, passando pelas intervenções farmacêuticas e o acompanhamento farmacoterapêutico em UTI. Trata-se de uma revisão integrativa construída segundo os descritores: Farmacêutico, Unidade de Terapia Intensiva e Farmácia Clínica. Considerou-se manuscritos publicados entre os anos de 2008 e 2022, nos idiomas inglês, português brasileiro e espanhol, em estudos conduzidos em seres humanos e no escopo da revisão. Foram incluídos 5 artigos científicos, nos quais foi enfatizada a relevância e não somente a presença do farmacêutico clínico, como as suas atribuições no cuidado à saúde. Existe um maior aglomerado de periódicos que descrevem a importância do serviço de farmácia clínica em unidades de terapia intensiva. Com isso, a atuação do farmacêutico clínico é fundamental na atenção ao cuidado e monitorização clínica, como também no acompanhamento da farmacoterapia do paciente.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Pires Grangeiro AK, de Oliveira Belém M. O PAPEL DO FARMACÊUTICO CLÍNICO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ADULTO. Cadernos ESP [Internet]. 30º de dezembro de 2022 [citado 27º de janeiro de 2023];16(4):75-83. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/798
Seção
Artigos de Revisão

Referências

Silva LCA, Brito POL, Melo CD, Falcai A, Pereira ICP. Contribuições da atenção farmacêutica /á pacientes em tratamento oncológico. Ver. Investing. Bioméd [online]. 2017. [citado 2021-10-12]; 9 (2): 216-22. Disponível em: http://www.ceuma.br/portalderevistas/index.php/RIB/article/view/164.

Souza HS, Gonzaga TS, Barros VKP, Sant’anna CC, Almeida MKC. A atuação do farmacêutico clínico como interventor na indentificação de problemas relacionados a medicamentos em hospitais: Uma revisão sistemática. Revista Infarma ciências farmacêuticas. 2021, 33(1): 41-47.

Pereira LRL, Freitas O. A evolução da atenção farmacêutica e a perspectiva no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas [online]. 2008 [citado 2021-10-25]; 44(4): 601-12. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcf/a/d9zrdFQdY8tSqMsCXQ8WWBC/?format=pdf&lang=pt#:~:text=Perspectivas%20da%20Aten%C3%A7%C3%A3o%20Farmac%C3%AAutica%20no,estar%20e%20qualidade%20de%20vida.

Santos CC, Domingues EA. Antimicrobial related problems in patients undergoing renal dialysis in a university hospital. Rev Bras Farm Hosp Serv Saude 2019 Oct-Dec;10(4):0340.

Azulino ACO, Soler O, Arruda JEG. Intervenção farmacêutica na antibioticoterapia do idoso: caminhos para a redução da ocorrência de problemas relacionados a medicamentos e promoção da farmacoeconomia. Revista eletrônica Acervo Saúde. 2020, 12 (11): 1-8. DOI: https://doi.org/10.25248/reas.e4504.2020.

Ribeiro VF, Sapucaia KCG, Aragão LAO, Bispo ICS, Oliveira VF, Alves BL. Realização de intervenções farmacêuticas por meio de uma experiência em farmácia clínica. Ver. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde. 2015, 6(4): 18-22. DOI: 10.30968/rbfhss.2017.083.005.

Normandi A, Karimzadeh I, Mirjalli M, Khalli H. [Clinical and economic impacts of clinical pharmacists’ interventions in Iran: a systematic review] DARU Journal of Pharmaceutical Sciences. 2019, 27: 361-78. DOI: 10.1007 / s40199-019-00245-8.

BRASIL. RESOLUÇÃO Nº 585 DE 29 DE AGOSTO DE 2013. Ementa: Regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico e dá outras providências. 2012. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/585.pdf . Acesso em: jan. de 2021.

Correia KKL, Barros MLCMGR, Barros Junior MR, Marques RA. Farmácia clinica: importância deste serviço no cuidado a saúde. Boletim Informativo Geum [online]. 2017. [citado 2021-11-04], 8(3): 7-18. Disponível em: http://www.ojs.ufpi.br/index.php/geum/.

Santos DS, Morais YJ. O farmacêutico clínico na farmácia comunitária privada: revisão integrativa. Research, Society and Development. 2021, 10(13): 1-9. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i13.21515.

Lira CBC, Oliveira BM. A importância da conciliação medicamentosa na prática da farmácia clínica em hospitais. Brazilian Journal of Development. 2021, 7(9): 89345-55. DOI:10.34117/bjdv7n9-207.

Souza LB, Souza DM, Souza SM, Silva DR, Aguiar NC. Importância do farmacêutico clínico no uso seguro e racional de medicamentos no âmbito hospitalar. Pensar acadêmico. 2018, 16(1): 109-24. DOI: 10.21576/rpa.2018v16il.360.

Souza MFR de, Sena MPM de, Oliveira CM, Sales CA, Melo RBC de, Freitas C de S, Mello AGNC, Sena LWP de. The role of the pharmacist in identifying and solving drug-related problems: an integrative review. RSD [Internet]. 2022Jan.10 [citado 2022Jan.16];11(1):e41811125053.

Magalhães VP, Martins BCC, Cavalcante RMA, Oliveira FRP, Chaves EF, Guedes MM, Firmino PYM, Néri EDR. Avaliação das notificações de reações adversas a medicamentos em pacientes transplantados em um hospital sentinela de Fortaleza-Ceará. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde [online]. 2017. [citado 2021-10-22], 8(1): 22-8. Disponível em: http://www.v1.sbrafh.org.br/public/artigos/2017080103001104BR.pdf.

Pilau R, Hegele V, Heineck I. Atuação do farmacêutico clínico em unidade de terapia intensiva adulto: Uma revisão de literatura. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde São Paulo [online]. 2014. [citado 2021-11-12]; 5(1); 19-24. Disponível em: http://www.v1.sbrafh.org.br/public/artigos/2014050103000472BR.pdf.

Fitzmaurice MG, Wong A, Akerberg H, Avramovsk S, Smithburguer P, Buckley MS, Kane-Gill S. Avaliação das potenciais interações medicamentosas em adultos na unidade de terapia intensiva: uma revisão sistemática e meta-análise. Drug Safety. 2019, 4(6): 1-10. DOI: 10.1007 / s40264-019-00829-y.

Fernandes LL. A importância do farmacêutico hospitalar juntamente com a equipe multidisiplinar na Unidade de Terapia Intensiva. Revista Farol [online]. 2019. [citado 2021-11-12]; 8(8): 5-21. Disponível em: http://www.revistafarol.com.br/index.php/farol/article/view/167/131.

Monte LEM. A importância da atenção farmacêutica nas unidades de terapia intensiva. Revista Interdisciplinar de Ciências Médicas. 2019, 2(10): 1-5.

Dias D, Pereira E, Wiese LPL. Avaliação de intervenções clínicas farmacêuticas em uma UTI de um hospital público de Santa Catarina. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde . 2018, 9(3): 1-5. DOI: 10.30968/rbfhss.2018.093.005.

Kessemeier M, Meyn D, Hoeckel M, Reitze J, Culmsee C, Tryba M. [A new approach on assessing clinical pharmacists’ impact on prescribing errors in a surgical intensive care unit]. International Journal of Clinical Pharmac. 2019, 1(41): 1184-92. DOI: https://doi.org/10.1007/s11096-019-00874-8.

Ali MAS, Khedr EMH, Ahmed FAH, Mohamed NNE. [Clinical pharmacist interventions in managing drug‐related problems in hospitalized patients with neurological diseases]. International Journal of Clinical Pharmacy. 2018, 10(5): 1-8. DOI: 10.1007 / s11096-018-0658-0.

Reis WCT, Scopel CT, Correr CJ, Andrzejevski VMSA. Análise das intervenções de farmacêuticos clínicos em um hospital de ensino terciário do Brasil. Einstein. 2013; 11(2):190-6.

Cardinal L, Fernandes C. Intervenção farmacêutica no processo da validação da prescrição médica. Rev Bras Farm Hosp Serv Saúde. 2014; 5(2):14-9.

Cruz LT, Batista PN, Meurer IR. Análise do serviço de farmácia clínica em um hospital universitário. HU Rev. 2019; 45(4):408-14. DOI: 10.34019/1982-8047.2019.v45.27553.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão Integrativa: método de revição para incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. [online]. 2008. [citado em 2021-12-02]; 17(4): 758-64. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tce/a/XzFkq6tjWs4wHNqNjKJLkXQ/?format=pdf&lang=pt.

Cabral FF, Pereira MB, Borges KDM, Passos ACB, Francelino EV, Monteiro MP, Arraes PSD. Eventos adversos a medicamentos no tratamento da covid-19 no Ceará. Cadernos Esp. Ceará. [online]. 2020. [citado 2021-12-06]; 14(1): 30-7. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/401/209.

Ferracini, FT, Borges Filho EM. Apresentação à 1ª Edição In: Prática farmacêutica no ambiente hospitalar: do planejamento à realização; 2010. 416p.

Romano-Lieber NS, Teixeira JJV, Farhat FCLG, Ribeiro E, Crozatt MTL, Oliveira GSA. Revisão dos estudos de intervenção do farmacêutico no uso de medicamentos por pacientes idosos. Caderno de Saúde Pública. 2002; 18(6): 1499-507. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2002000600002.

Angonesi D, Sevalho G. Atenção Farmacêutica: fundamentação conceitual e crítica para um modelo brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva. [online]. 2010. [citado 2021-11-25]; 15,(3): 3603-14. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/630/63017302035.pdf.

Fideles GMA, Alcântara-neto JM, Peixoto Junior AA, Souza-Neto PJ, Tonete TL,Silva JEG, Neri EDR. Recomendações farmacêuticas em unidade de terapia intensiva: três anos de atividade clínica. Revista Brasileira de terapia intensiva. 2015; 27(2): 149-54. DI: https://doi.org/10.5935/0103-507X.20150026.