SAÚDE DAS MULHERES DA PESCA

UM FAROL PARA A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54620/cadesp.v17i1.1604

Palavras-chave:

Atenção Primária em Saúde, Saúde da Mulher, Acesso a Serviços de Saúde, Estratégia Saúde da Família

Resumo

As mulheres pescadoras lidam historicamente com a falta de reconhecimento de suas atividades, o que tem implicações socioeconômicas e de saúde. O objetivo da pesquisa foi compreender o processo saúde-doença, descrever o perfil sociodemográfico, os condicionantes sociais, os principais agravos à saúde e o acesso aos serviços na Atenção Primária em Saúde. Pesquisa de caráter descritivo, exploratório e de natureza qualitativa. O período da pesquisa foi entre os meses de junho e setembro de 2022. Participaram seis pescadoras, maiores de 18 anos, vinculadas em Unidades Básicas de Saúde (UBS), através da técnica de grupo focal, os relatos foram gravados, transcritos e categorizados. Os dados apontam as vulnerabilidades presentes no cotidiano, desde a emissão do registro profissional, ao acolhimento nas UBS, bem como o acesso à medicamentos básicos. Constatamos, que há muito a ser realizado, através de políticas públicas e intervenções intersetoriais de enfrentamento às vulnerabilidades dessa população.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisiane Maques Domingos da Silva Chagas, Escola de Saúde Pública do Ceará. Fortaleza, CE - Brasil.

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal do Ceará (2003). Pós-Graduada em Atenção Farmacêutica e Farmacoterapia Clínica (2014).  Farmacêutica Residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade da Escola de Saúde do Pública do Ceará no município de Camocim-CE (2021-2023).

Maria Gerliane Queiroz Martins, Escola de Saúde Pública do Ceará. Fortaleza, CE - Brasil.

Enfermeira (2012). Especialista em Terapia Intensiva pela Escola de Saúde Pública do Ceará (2015). Mestre em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde pela Universidade Estadual do Ceará - UECE (2015). Supervisora (Preceptora) Geral da Residência Multiprofissional pela ESP CE componente comunitário, ênfase Saúde da Família e ênfase Saúde Mental Coletiva (2020- atual).

Referências

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes. 1. ed., 2. reimpr. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2011. [acessado 2022 Abr 26]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_mulher_principios_diretrizes.pdf

Brasil. Ministério do Trabalho. Classificação Brasileira de Ocupações: Marisqueiro. [Internet]. 2002 [citado em 2022 Jan 11]; Disponível em: http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/pesquisas/BuscaPorTituloResultado.jsf

Goes L, Cordeiro R. A mulher pescadora no cotidiano da pesca artesanal. Psicologia em Revista [internet]. 2018 [citado em 2022 Jan 11]; 24(3):778-96. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677- 11682018000300008&lng=pt&nrm=is. DOI: 10.5752/P.1678-9563.2018v24n3p778-796. DOI: https://doi.org/10.5752/P.1678-9563.2018v24n3p778-796

Lopes IB da S et al. Saúde das trabalhadoras da pesca artesanal: cenários desconhecidos do Sistema Único de Saúde (SUS). Revista Brasileira de Saúde Ocupacional [online]. 2021; 46. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2317-6369000028719 DOI: https://doi.org/10.1590/2317-6369000028719

Lopes PFM, Freitas CT, Begossi A. A mulher e a pesca: um olhar sobre a pesquisa e a atuação feminina pesqueira no Brasil. Ethnoscientia - Brazilian Journal of Ethnobiology and Ethnoecology. 2020; 5(1). DOI: 10.22276/ethnoscientia.v5i1.304 DOI: https://doi.org/10.18542/ethnoscientia.v5i1.10303

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo Hucitec Rio De Janeiro Abrasco; 2000.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cidades e Estados. [Internet]. 2021 [acessado 2022 Set 20]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e- estados/ce/camocim.html

Brasil. Ministério da Saúde (MS). E-Gestor Atenção Básica: espaço para informação e acesso aos sistemas de Atenção Básica [Internet]. 2017 [acessado 2022 Abr 26]. Disponível em: https://egestorab.saude.gov.br/paginas/acessoPublico/relatorios/relHistoricoCoberturaAB.xhtml

Flick U. Desenho da pesquisa qualitativa. [Internet]. Artmed; 2009. [acessado 2022 Jan 20]. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/442062107/FLICK-Uwe-Desenho-da-pesquisa- qualitativa-pdf

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União. [internet] 2013. [acessado em 2022 jan 20] Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/reso_12.htm

Andrade, SC et.al. Benefícios da Talassoterapia e Balneoterapia na Fibromialgia. Revista Brasileira de Reumatologia. 2008; (48):94-99. DOI:10.1590/S0482-50042008000200005 DOI: https://doi.org/10.1590/S0482-50042008000200005

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas integrativas e complementares: plantas medicinais e fitoterapia na Atenção Básica 2012. [acessado 2022 Set 09]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/miolo_CAP_31.pdf

Pinheiro KRG, Martins MGQ. Percepção dos pescadores sobre saúde e seu acesso aos serviços da atenção básica no município de Camocim-CE. Cadernos ESP [internet]. 2019 [citado em 2022 Set 15]; 10(1): 49-62. Disponível em: http://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/102

Fernandez M, Lotta G, Corrêa M. Desafios para a Atenção Primária à Saúde no Brasil: uma análise do trabalho das agentes comunitárias de saúde durante a pandemia de Covid-19. Trab educ saúde [Internet]. 2021 [acessado 2022 Ago 10]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00321 DOI: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00321

Oliveira LCF, Nascimento MAA, Lima IMSO. O acesso a medicamentos em sistemas universais de saúde–perspectivas e desafios. Saúde em Debate. 2020;(43): 286-298 DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042019S523 DOI: https://doi.org/10.1590/0103-11042019s523

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Portaria nº 2.920, de 31 de outubro de 2017, Programa de Informatização das Unidades Básicas de Saúde - PIUBS. [acessado 2022 Ago 14]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2920_01_11_2017.htm

Publicado

10-08-2023

Como Citar

1.
Domingos da Silva Chagas LM, Queiroz Martins MG. SAÚDE DAS MULHERES DA PESCA: UM FAROL PARA A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Cadernos ESP [Internet]. 10º de agosto de 2023 [citado 22º de fevereiro de 2024];17(1):e1604. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/1604
Received 2023-04-04
Accepted 2023-07-24
Published 2023-08-10