A importância da família nas práticas de cuidado no campo da Saúde Mental

Autores

  • Giliana Martins da Costa Enfermeira do Hospital Psiquiátrico São Vicente de Paulo, Fortaleza-CE.
  • Cecylia Kátia Limaverde Pessôa Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade de Fortaleza - UNIFOR.
  • Camila Alves Soares Psicóloga. Especialista em Saúde Mental. Escola de Saúde Pública do Ceará(ESP/CE).
  • Silmara Alves Moreira Rocha Enfermeira. Especialista em Saúde da Família. Escola de Saúde Pública do Ceará(ESP/CE).

Palavras-chave:

Família, Saúde Mental, Práticas de cuidado

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivos investigar a vivência e participação da família no tratamento de usuários de saúde mental; identificar as formas de participação da família no tratamento do seu familiar; compreender os sentimentos e as dificuldades por ela vivenciados; e conhecer o relacionamento familiar e sua influência na recuperação do sujeito. Tratou-se de um estudo descritivo, delineado em uma abordagem qualitativa, realizado no Centro de Atenção Psicossocial, SER VI, de Fortaleza - CE. Os participantes da pesquisas foram quinze familiares que acompanhavam seus parentes nesse CAPS. A coleta de dados ocorreu nos meses de agosto a outubro de 2011, por meio de entrevista semiestruturada. Portanto, alcançaram-se três categorias de análise: formas de participação da família no cuidado; sentimentos e dificuldades vivenciadas pela família; relacionamento familiar e sua influência na recuperação do indivíduo. Constatou-se haver tanto famílias que participam da vida do seu familiar, que cuidam e estão presentes em suas vidas, dando apoio emocional e instrumental como aquelas que abandonam ou sobrecarregam outros parentes. Diante das situações vivenciadas, há uma mistura de sentimentos, ressaltando-se a tristeza, a vergonha e o medo, decorrente de momentos de agressividade. As principais dificuldades envolvem o manejo das situações de crise e os problemas financeiros. Quanto à dinâmica familiar, há mudanças positivas com o tratamento, minimizando conflitos intrafamiliares, mas ainda prevalecem situações de desentendimento. Concluiu-se que as famílias ainda carecem de apoio para lidar com seu ente familiar em sofrimento psíquico, seja pela falta de informação em relação ao problema, ou pelo despreparo nas situações de crise. Nesse contexto, os trabalhadores da saúde, não só do campo da saúde mental, precisam co-nhecer e entender a dinâmica familiar para elaborar um plano de cuidados, visto que cada família tem sua singularidade e sua particularidade. De acordo com os preceitos da Reforma Psiquiátrica, a família tem papel central na reinserção social. Desta forma é fundamental, entender sua dinâmica e necessidades para pensar as práticas de cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

03-10-2019

Como Citar

1.
Martins da Costa G, Limaverde Pessôa CK, Alves Soares C, Alves Moreira Rocha S. A importância da família nas práticas de cuidado no campo da Saúde Mental . Cadernos ESP [Internet]. 3º de outubro de 2019 [citado 24º de abril de 2024];8(1):41-57. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/75

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)