Estudo Situacional das Hepatites Virais B e C no Estado do Ceará

Conteúdo do artigo principal

Nadja Maria Pereira de Deus Silva
Louanne Aires Pereira

Resumo

Este estudo teve como objetivo avaliar a situação epidemiológica das hepatites virais B e C no Ceará. Trata-se de um estudo quantitativo dos casos de hepatites B e C notificados no ano de 2016 no SINAN, comparados com os bancos que possuem dados referentes ao agravo: SIM, SNT e Hórus. No período avaliado, identificamos 326 casos, com 251(76%) portadores do vírus C, 75 (22,7%) do vírus B e 4 (1,2%) com a coinfecção HCV/HBV. Dos pacientes com HCV, 167 (66,8%) realizaram tratamento. Já dentre os que apresentavam HBV, 69,6% não utilizavam nenhuma terapia medicamentosa. Identificamos 6 pacientes (1,8%) que foram transplantados e 5 (1,5%) que foram a óbito. Mesmo existindo tratamento para o HBV desde 2002, observou-se que a maioria desses pacientes nunca utilizou a terapia. Em relação ao HCV, verificou-se uma boa adesão ao tratamento. No entanto, a infecção pelo HCV e HBV ocasionaram transplantes hepáticos e óbitos devido às complicações. Assim, ressalta-se a importância do diagnóstico precoce, evitando o desfecho desfavorável da doença.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Maria Pereira de Deus Silva N, Aires Pereira L. Estudo Situacional das Hepatites Virais B e C no Estado do Ceará. Cadernos ESP [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 5º de dezembro de 2022];11(2):41-9. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/119
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Nadja Maria Pereira de Deus Silva

1. Enfermeira da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de
Fortaleza.

Louanne Aires Pereira

2. Psicóloga, Assessora Técnica de IST/HIV/Aids do Secretaria de Saúde do
Estado do Ceará.