AUTOIMAGEM CORPORAL NA ADOLESCÊNCIA

RESULTADOS PRELIMINARES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54620/cadesp.v17i1.1453

Palavras-chave:

Auto Imagem, Adolescente, Teoria Sistêmica, Enfermagem

Resumo

Analisar vivências acerca da autoimagem corporal de adolescentes. Pesquisa qualitativa exploratória, desenvolvida no período de maio de 2021 a março de 2022. Participaram 06 alunos do 3º ano do Curso Técnico em Enfermagem de uma escola estadual de educação profissional do interior do Ceará. Houve aprovação do CEP da Faculdade Pernambucana de Saúde, aprovada pelo parecer nº 5.223.693. Os dados obtidos através de entrevistas semiestruturadas individuais realizadas por web chamada e submetidos à análise de temática de Minayo. Os participantes associaram a autoimagem mais à percepção estética que têm de si e ao modo como a expressam para o outro, relataram atitudes e sofrimentos relacionados à imagem “perfeita”, como ansiedade, tristeza, raiva e automutilação, além do uso de medicamentos. Afirmam que não há beleza perfeita e aconselham seus pares a desenvolverem o amor-próprio. As vivências evidenciaram forte carga emocional, denotando que o padrão de beleza imposto pela sociedade causa sofrimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Waleska de Carvalho Marroquim Medeiros , Faculdade Pernambucana de Saúde. Recife, PE - Brasil.

Doutora e Mestre em Psicologia Clínica pela Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP (2012 e 2019). Possui graduação em Psicologia pela mesma Universidade - UNICAP (2000), Especialização em Psicologia da Família e Realidade Social pela Faculdade Frassinetti do Recife - FAFIRE (2003). Membro da Linha de Pesquisas Processos clínicos e os ciclos da vida da FPS; do Grupo de Pesquisa em Psicologia Clínica e do Laboratório de Família, Gênero e Interação Social - LAFAM da UNICAP; da Academia Nacional de Cuidados Paliativos - ANCP; do Grupo de Saúde Mental do IMIP. Coordenadora de tutor do sexto período do curso de Graduação em Psicologia e docente permanente do Mestrado em Psicologia da Saúde da Faculdade Pernambucana de Saúde - FPS. Membro do NDE da Gradução em Psicologia e da Pós-Graduação em Psicologia da Saúde. Membro do Comitê de Ética em Pesquisas (CEP-PFS). Atua como Psicóloga clínica em consultório particular. Psicóloga do Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira - IMIP onde desenvolve atividades de assistência, ensino e pesquisa. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Clínica,da Saúde e Hospitalar, atuando principalmente com os seguintes temas: cuidados paliativos, bioética, psico-oncologia, psicogerontologia, relações familiares, luto, tanatologia, espiritualidade, religiosidade e saúde.

Referências

WHO, World Health Organization. Nutrition in adolescence: issues and challenges for the health sector: issues in adolescent health and development. Geneva: WHO, 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. Marco legal: saúde, um direito de adolescentes / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Área de Saúde do Adolescente e do Jovem. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007. 60 p.: il. – Série A. Normas e Manuais Técnicos.

Braga PD, Molina MCB, Figueiredo TAM. Representações do corpo: Com a palavra um grupo de adolescentes de classes populares. Ciência & Saúde Coletiva, 15 (1):87-95, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000100014

Andrade MRM, Amaral ACS, Ferreira MEC. A Cultura do Corpo Ideal: Prevalência de Insatisfação Corporal entre Adolescentes. Psicologia em Pesquisa |UFJF| 4(01)| 24-30| janeiro-julho de 2010.

Barbosa MR, Matos PM, Costa ME. As Relações de vinculação e a imagem corporal: Exploração de um Modelo. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Jul-Set 2011, Vol. 27, n.3, pp.273-282. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37722011000300002

Pereira AMGR. Preocupação com o peso e prática de dietas por adolescentes. Acta Portuguesa de Nutrição 06 (2016) 14-18 | Licença: cc-by-nc | http://dx.doi.org/10.21011/apn.20160603 DOI: https://doi.org/10.21011/apn.2016.0603

Campolina LO. Torna-se Adolescente: A participação da Escola na construção da infância para a adolescência [dissertação]. Brasília: Universidade de Brasília; 2007.

Prata MRS. A produção da subjetividade e as relações de poder na escola: Uma reflexão sobre a sociedade disciplinar na configuração da atualidade. Revista Brasileira de Educação, 28, 108-116, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782005000100009

Costa JM, Dias CMSB. A Arte de Recomeçar: Uma compreensão da dinâmica das famílias recasadas [dissertação]. Recife: Universidade Católica de Pernambuco; 2008.

Gomes LB, Bolze DAS, Bueno RK, Crepaldi, MA. As Origens do Pensamento Sistêmico: Das Partes para o Todo. Pensando Famílias, 18(2), dez. 2014, (3-16).

Medeiros WCM, Dias CMSB. Relações de Cuidado entre Avós em Paliação e Netos Cuidadores [tese]. Recife: Universidade Católica de Pernambuco. Recife; 2019.

Dias CMS. A Teoria Geral dos Sistemas. Apostila usada na disciplina de Estudos e Pesquisa de Tese I. Doutorado em Psicologia Clínica. Recife: Universidade Católica de Pernambuco; 2014.

Vasconcellos MJE de. Pensamento Sistêmico: O novo paradigma da ciência. 9ª edição. Campinas: Papirus. 2010.

Capra F. A Teia da Vida: Uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix. 2006.

Boff L. A Águia e a Galinha: Uma Metáfora da Condição Humana. Petrópolis, RJ: Vozes. 1997.

Minayo MCS. O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

Gomes R. A análise de dados em pesquisa qualitativa. In: Minayo, MCS. Pesquisa Social (Org.). Teoria, Método e Criatividade, Petrópolis: Vozes. 2002.

Dalpiaz AK, Caravaglia M, Silva RG, Oliveira M de. Políticas e Práticas de Enfrentamento à Drogadição nos Municípios que compõem o Coredes Serra – RS. XII Salão de Iniciação Científica - PUCRS, 03 a 07 de outubro de 2011.

Diniz E. Como é ser homem em uma profissão historicamente feminina? Minha experiência atuando na enfermagem. [Internet]. 2017. [acesso 2022 jul 18]. Disponível em: https://papodehomem.com.br/como-e-ser-homem-em-uma-profissao-historicamente-feminina/

Pereira IT, Maciel, JM, Araújo, PG, Santos, JCG, Sales, AC. Educação Permanente em Saúde com Crianças e Adolescentes: Um Relato de Experiência. Relato de Experiência, Atualização e/ou Inovação Tecnológica. Cadernos ESP, Ceará. 2021, JAN. ABR.; 15: 137-144. 2021.

Oliveira MR, Machado JSA. O insustentável peso da autoimagem: (re)apresentações na sociedade do espetáculo. Ciência & Saúde Coletiva, 26(7):2663-2672, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232021267.08782021

Lopes AF, Mendonça ES. Ser jovem, ser belo: a juventude sob holofotes na sociedade contemporânea. Rev Subj 2016; 16(2):20-33.26. Olweus D. School bullying: Development and some important challenges. Annual review of clinical psychology, 9, 751-780, 2013. DOI: https://doi.org/10.5020/23590777.16.2.20-33

Veloso LA. Comunicação e Psicose na Perspectiva Sistêmica [monografia]. Brasília. Centro Universitário de Brasília; 2004.

Cavalcanti JG, Coutinho MPL, Araújo LS, Pinto AVL, Bú EA, Silva KC. Bullying no Contexto da Adolescência: Um Estudo das Representações Sociais. Revista de Psicologia da IMED, Passo Fundo, vol. 11, n. 2, p. 96-114, Julho-Dezembro, 2019. DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027.2019.v11i2.3287

Vieira HMV, Alexandre HP, Campos VA, Leite MTS. Impactos do bullying na saúde mental do adolescente. Revista Ciência et Praxis, 2020, v. 13, n. 25, ja/jun, p. 91-103, Mello FCM, Silva JL, Oliveira WA, Prado RR, Malta DC, Silva MAI. A prática de bullying entre escolares brasileiros e fatores associados, Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar, 2015. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 22(9): 2939-2948 2017 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232017229.12762017

Coelho, MISM; Morais, NA. Contribuições da Teoria Sistêmica acerca da Alienação Parental. Contextos Clínic [online]. 2014, vol.7, n.2 [citado 2022-10-16], pp. 168-181 . Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-34822014000200006&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 1983-3482. http://dx.doi.org/10.4013/ctc.2014.72.05. Acesso em: 16 de Outubro de 2022. DOI: https://doi.org/10.4013/ctc.2014.72.05

Santos KP dos, Silva GE da, Modesto KR. Perigo dos medicamentos para emagrecer. Rev Inic Cient Ext [Internet]. 28º de janeiro de 2019 [citado 16º de outubro de 2022];2(1):37-45. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/140 Acesso em: 16 de Outubro de 2022.

Cavalcanti JG, Coutinho, MDPL, Pinto AVL, Silva KC, Bú, EA. Vitimização e percepção do bullying: Relação com a sintomatologia depressiva de adolescentes. Revista de Psicologia da IMED, 10(1), 140-159. 2018. Malecki CK, Demaray MK, Coyle S, Geosling R, Rueger SY, Becker LD. Frequency, power differential, and intentionality and the relationship to anxiety, depression, and self-esteem for victims of bullying. In: Child & Youth Care Forum, 44(1), 115-131. 2015. DOI: https://doi.org/10.18256/2175-5027.2018.v10i1.2725

Chiavenato, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. 4ª Edição, Ed. Makron Books.

Oliveira ESG. Adolescência, internet e tempo: desafio para a Educação. Educ Rev 2017; 64:283-298. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.47048

Downloads

Publicado

26-12-2023

Como Citar

1.
Brasil Marques YC, de Carvalho Marroquim Medeiros W. AUTOIMAGEM CORPORAL NA ADOLESCÊNCIA: RESULTADOS PRELIMINARES. Cadernos ESP [Internet]. 26º de dezembro de 2023 [citado 22º de abril de 2024];17(1):e1453. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/1453
Received 2022-12-17
Accepted 2023-06-13
Published 2023-12-26