HUMANIZAÇÃO NO HOSPITAL: ATUAÇÕES DA PSICOLOGIA NA COVID-19

HUMANIZATION IN THE HOSPITAL: PSYCHOLOGY PERFORMANCE IN COVID-19

  • Maisse Leôncio Catunda Psicóloga Hospitalar. Hospital Regional da Unimed Fortaleza.
  • Lívia Nádia Albuquerque dos Santos Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Carolina Bernardi de Souza Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).
  • Alana Brandelero Porto Psicóloga. Hospital de Clínicas de Passo Fundo (HCFP).
  • Fernanda Nardino Psicóloga. Mestranda em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).
  • Maria Eliara Gomes Lima Psicóloga. Residência Multiprofissional em Saúde (RIS/ESP-CE).
  • Vanda Silva de Araújo Graduanda em Psicologia. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Palavras-chave: Humanização da Assistência, Infecções por Coronavírus, Psicologia, Assistência à saúde, COVID-19

Resumo

O

Objetivo: relatar a experiência da utilização das visitas virtuais, enquanto recurso de humanização, com pacientes hospitalizados por Covid-19 em uma instituição hospitalar privada da cidade de Fortaleza. Metodologia: trata-se de um relato de experiência que empregou um levantamento bibliográfico juntamente à observação participante de visitas virtuais realizadas com pacientes institucionalizados no hospital, contando com a participação da equipe multiprofissional e coordenação da Psicologia Hospitalar. Os cuidados éticos na condução do relato de experiência foram respeitados, preservando o anonimato dos sujeitos envolvidos. Resultados: As visitas foram realizadas através de tablets, por meio de videochamadas. Ademais, os tablets também serviram como ferramenta de comunicação para o médico, acerca dos óbitos às famílias. Para além do cuidado com o paciente em si, pôde-se notar a integração e a corresponsabilidade entre os profissionais responsáveis que construíram diferentes recursos à assistência em saúde. Discussão: Constatou-se que as visitas virtuais apresentaram resultados positivos para os indivíduos em tratamento por Covid-19, possibilitando a manutenção dos vínculos, a sensação de pertencimento ao núcleo familiar e o compartilhamento de notícias pertinentes à família. Conclusões: Diante disso, percebeu-se a importância da humanização e da valorização da subjetividade na assistência aos pacientes que enfrentam a Covid-19.

PALAVRAS-CHAVE: Humanização da Assistência; Infecções por Coronavírus; Psicologia; Assistência à saúde.

 

ABSTRACT

Objective: to report the experience of using virtual visits, as a humanization resource, with patients hospitalized by Covid-19 in a private hospital in the city of Fortaleza. Methodology: this is an experience report that used a bibliographic survey together with the participant observation of virtual visits carried out with institutionalized patients in the hospital, containing the participation of the multidisciplinary team and coordination of Hospital Psychology. Ethical care in conducting the research was respected, preserving the anonymity of the subjects involved. Results: The visits were carried out via tablets, using video calls. In addition, tablets also served as a communication tool for the physician, about the deaths to the families. Besides to patient care, there is an integration and co-responsibility among the responsible professionals, who have built different resources for health care. Discussion: It was found that virtual visits showed positive results for individuals undergoing treatment by Covid-19, enabling the maintenance of bonds, the feeling of belonging to the family nucleus and the sharing of news relevant to the family. Conclusions: In view of this, the importance of humanization and the appreciation of subjectivity in helping patients facing Covid-19 were perceived.

KEYWORDS: Humanization of Assistance; Coronavirus Infections; Psychology; Health Care.

 

RESUMEN

Objetivo: Reportar la experiencia de usar visitas virtuales, como un recurso de humanización, con pacientes hospitalizados por Covid-19 en un hospital privado en la ciudad de Fortaleza. Metodología: Es un informe de experiencia que utilizó una encuesta bibliográfica junto con la observación participante de visitas virtuales realizadas con pacientes en el hospital, con la participación del equipo y la coordinación de la Psicología Hospitalaria. Se respetó el cuidado ético, preservando el anonimato de los sujetos involucrados. Resultados: las visitas se realizaron a través de tabletas, utilizando videollamadas. Las tabletas también sirvieron como herramienta de comunicación para el médico, con respecto a las muertes a las familias. Además, se puede observar la integración y la corresponsabilidad entre los profesionales responsables, que han creado diferentes recursos para la atención de la salud. Discusión: Se descubrió que las visitas virtuales mostraron resultados positivos para las personas sometidas a tratamiento con Covid-19, permitiendo el mantenimiento de los lazos, el sentimiento de pertenencia al núcleo familiar y el intercambio de noticias relevantes. Conclusiones: se percibió la importancia de la humanización y la valorización de la subjetividad para ayudar a los pacientes que enfrentan Covid-19.

PALABRAS CLAVE: Humanización de la Atención; Infecciones por Coronavirus; Psicología; Cuidado de la salud.

Biografia do Autor

Alana Brandelero Porto, Psicóloga. Hospital de Clínicas de Passo Fundo (HCFP).

 

 

Referências

World Health Organization [WHO]. 2020. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) Situation Report – 78. [Internet]. 2020. Disponível em: <https://www.who.int/docs/defaultsOurce/coronaviruse/situation-reports/20200407-sitrep-78-covid-19pdf?sfvsn=bc43e1b 2>.

Ministério da Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS. Diário Oficial da União. 4. ed. [Internet]. Brasília; 2010. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus_documento_gestores_trabalhadores_sus.pdf>.

Ramos EA, Kattah JAR, Miranda LM, Randow R, Guerra VA. Humanização na Atenção Primária à Saúde. Rev Med Minas Gerais [Internet]. 2018;28(5). Disponível em: <http://rmmg.org/artigo/detalhes/2454>.

Pereira AB, Ferreira Neto JL. Processo de Implantação da Política Nacional de Humanização em Hospital Geral Público. Trab. Educ. Saúde [Internet]. 2015;13(1):67-87. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/tes/v13n1/1981-7746-tes-1981-7746-sip00024.pdf>.

Ministério da Saúde. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização. 1. ed. [Internet]. Brasília; 2013. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_pnh_folheto.pdf>.

Brasil. Cadernos HumanizaSUS. Atenção Hospitalar. [Internet]. Brasília; 2013. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_humanizasus_atencao_hospitalar.pdf>.

Cogo AS, et al. A psicologia diante de emergências e desastres. In: Franco MHP. Organizadora. A intervenção psicológica em emergências: fundamentos para a prática. São Paulo: Summus; 2015: 17-60.

World Health Organization [WHO]. WHO Director-General's statement on IHR Emergency Committee on Novel Coronavirus (2019-nCoV). [Internet]. 2020. Disponível em: <https://www.who.int/dg/speeches/detail/who-director-general-s-statement-on-ihr-emergency-committee-on-novel-coronavirus-(2019-ncov)>.

Organização Mundial da Saúde. War Trauma Foundation e Visão Global internacional; Primeiros Cuidados Psicológicos: guia para trabalhadores de campo. [Internet]. OMS: Genebra; 2015. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&category_slug=prevencao-e-cont-doencas-e-desenv-sustentavel-071&alias=1517-primeiros-cuidados-psicologicos-um-guia-para-trabalhadores-campo-7&Itemid=965>.

Costa CFD, et al. O atendimento psicológico em emergências: diferentes settings. In: Franco MHP. Organizadora. A intervenção psicológica em emergências: fundamentos para a prática. São Paulo: Summus; 2015: 105-146.

Barros-Delben P, et al. Saúde mental em situação de emergência: COVID-19. Debates Psiquiatria [Internet]. 2020;1(10):2-12. Disponível em: <https://d494f813-3c95-463a-898c-ea1519530871.filesusr.com/ugd/c37608_e2757d5503104506b30e50caa6fa6aa7.pdf>.

Vieira MC. Atuação da psicologia hospitalar na medicina de urgência e emergência. Rev Bras Clin Med [Internet]. 2010;8(6): 513-9. Disponível em: <http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2010/v8n6/a1602.pdf>.

Carnut L. Cuidado, integralidade e atenção primária: articulação essencial para refletir sobre o setor saúde no Brasil. Saúde Debate [Internet]. 2017;41(115):1177-86. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v41n115/0103-1104-sdeb-41-115-1177.pdf>.

Merhy EE. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo em saúde. In: Merhy EE, Onocko R. organizadores. Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: Hucitec; 1997: 71-112.

Simonetti A. Manual de psicologia hospitalar: o mapa da doença. 8. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2016.

Gil AC. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas; 2008.

Publicado
2020-07-22