TESTAMENTO VITAL

O MORRER COM DIGNIDADE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54620/cadesp.v17i1.1530

Palavras-chave:

Testamento Vital, Direitos dos pacientes, Fim de vida

Resumo

O presente estudo visa analisar e discutir sobre o uso do Testamento Vital em pacientes em fim de vida. Trata-se de um estudo qualitativo de revisão de artigos sobre a temática, utilizando-se do método de pesquisa bibliográfica. Foram encontrados na base de dados do SCIELO 3 estudos, na LILACS 4 e na CAPES não foi encontrado nenhum estudo. O Testamento Vital é um gênero de documento que visa garantir ao paciente que sua autonomia seja respeitada no seu momento de fim de vida. É um direito que surgiu devido aos questionamentos bioéticos ao se pensar sobre vida boa e morte digna diante do avanço da medicina e a obstinação terapêutica. Diante da ausência de lei especifica no país, se faz necessário discussões em torno da temática no âmbito ético, social, político, jurídico e civil para o avanço da autonomia do paciente e garantia dos seus direitos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Cervi TD. Cuidados paliativos e autonomia do paciente terminal: reflexões sobre o testamento vital no Brasil. Rer Videre. 2018; 10(20): 99-113. DOI: 10.30612/videre.v10i20.7709 DOI: https://doi.org/10.30612/videre.v10i20.7709

Dadalto L. A necessidade de um modelo de Diretivas Antecipadas de Vontade para o Brasil: estudo comparativo dos modelos português e franceses. Revista M Estudos sobre a morte, os mortos e o morrer [online]. 2016; 1(2): 443-460. Disponível em: http://seer.unirio.br/revistam/article/view/8140/7006 DOI: https://doi.org/10.9789/2525-3050.2016.v1i2.443-460

Dadalto L, Tupinambás U, Greco DB. Diretivas antecipadas de vontade: um modelo brasileiro. Revista de Bioética. [Impresso]. 2013; 21(3): 463-476 Disponível em: https://www.scielo.br/j/bioet/a/SzZm7jf3WDTczJXfVFpF7GL/?lang=pt&format=pdf DOI: https://doi.org/10.1590/S1983-80422013000300011

Dadalto L. A judicialização do testamento vital: análise dos autos n. 1084405-21.

8.26.0100/TJSP. Rev Eletrônica de Direito civil. [online]. 2018; 7: 1-16. Disponível em: https://civilistica.emnuvens.com.br/redc/article/view/363/303.

Dadalto L. Reflexos jurídicos da resolução CFM 1995/2012. Revista Bioética. 2013; 21(1) 106-112. DOI: https://doi.org/10.1590/S1983-80422013000100012

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas; 2010.

Beauchamp TL; Childress JF. Princípios de ética biomédica. São Paulo: Loyola; 2002.

Durant G. Introdução geral à bioética. São Paulo: Loyola; 2003.

Dadalto L. Declaração prévia de vontade do paciente terminal. Revista Bioética. 2009; 17(3); 523-543.

Pirôpo US, et al. Interface do testamento vital com a bioética, atuação profissional e autonomia do paciente. Rev. Salud Pública. [online]. 2018; 20(4): 505-510. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/rsap/v20n4/0124-0064-rsap-20-04-505.pdf. DOI: https://doi.org/10.15446/rsap.v20n4.65009

Downloads

Publicado

27-12-2023

Como Citar

1.
Gomes Lima ME, Gomes Lopes F. TESTAMENTO VITAL: O MORRER COM DIGNIDADE. Cadernos ESP [Internet]. 27º de dezembro de 2023 [citado 22º de fevereiro de 2024];17(1):e1530. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/1530
Received 2023-02-14
Accepted 2023-08-16
Published 2023-12-27

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)