UM OLHAR ANALÍTICO SOBRE AS ÁGUAS ENVASADAS NO ESTADO DO CEARÁ

  • Leandra Claudio Almeida Química, Pós-graduada em Vigilância Sanitária pela Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará.
  • Marcelo Ivan Rojas Burgoa Veterinário, Mestre em Produção e Reprodução de Pequenos Rum. pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).
  • Vanessa Alencar de Araújo Odontóloga, Mestre em Saúde Pública pela University of Texas at Austin, UT, Estados Unidos.
  • Lisidna Almeida Cabral Nutricionista, Mestre em Saúde Pública pela Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  • Maria Tereza Pinto da Costa Bióloga, Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Cintia de Brito Melo Bióloga, Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Antônio Carlos Araújo Fraga Farmacêutico, Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
Palavras-chave: Águas envasadas, Amostras, Legislação

Resumo

Devido ao cenário nordestino, quanto à disposição de água de boa qualidade para o consumo
humano, surgiram no mercado as águas envasadas. O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade
das águas envasadas (minerais e adicionadas de sais) no estado do Ceará e as legislações. Para isso foram analisados os laudos expedidos pelo Laboratório Central do Ceará, pertencente ao Programa Estadual de Monitoramento das Águas Envasadas, no período de janeiro de 2015 a dezembro de 2016. Os resultados insatisfatórios das análises microbiológicas de amostras de água mineral foram 17,7% em 2015 e 23,5% em 2016, e de amostras de água adicionada de sais 10,7% em 2015 e 22,9% em 2016. Com relação às análises físico-químicas, apenas o total de sais adicionados das águas adicionadas de sais se mostraram insatisfatórios com um percentual de 55,5% em 2015 e 44,4% em 2016. Várias incoerências são encontradas na legislação vigente. Mesmo assim, uma parte expressiva dos produtos ainda se encontra inapropriada para o consumo. Conclui-se que um alto índice de amostras de águas minerais e águas adicionadas de sais estão insatisfatórias em relação aos parâmetros microbiológicos, enquanto que no parâmetro físico-químico (sais adicionados) este índice ocorreu apenas nas águas adicionadas de sais.

Publicado
2019-12-19