PADRÕES MICROBIOLÓGICOS DE PRODUTOS AMILÁCEOS INDUSTRIALIZADOS EM FORTALEZA-CE

  • Daniel Araujo Gois Pinheiro Guerra Engº de Alimentos. MBA em Engª de Produção e Gestão da Qualidade. Universidade Federal do Ceará.
  • Leyshir Gomes de Carvalho Viana Cavalcante Duarte Nutricionista. Mestre em Nutrição e Saúde. Hospital Geral de Fortaleza.
  • Priscila Raquel Nogueira Vieira Química. Mestre em Ciências Veterinárias. Fiscal da Agência de Fiscalização da Vigilância Sanitária de Fortaleza
  • Rosimary da Silva Barbosa Tecnóloga de Alimentos. Mestranda em Gestão em Saúde - Universidade Estadual do Ceará. Coordenadora de área da vigilância em saúde e docente da Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues.
  • Geórgia de Mendonça Nunes Leonardo Nutricionista. Mestre em Nutrição e Saúde. Docente da Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues.
Palavras-chave: Vigilância Sanitária, Controle de Qualidade, Boas Práticas de Fabricação

Resumo

O estudo teve o objetivo de avaliar os padrões microbiológicos de produtos amiláceos industrializados no município de Fortaleza, dispensados da obrigatoriedade de registro, em obediência à legislação vigente. Os padrões microbiológicos foram avaliados conforme a Resolução RDC nº. 12, de 01 de janeiro de 2001, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Trata-se de estudo documental, descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa. A amostra do estudo foi composta por 31 laudos laboratoriais emitidos pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (LACEN), referentes à análise de amostras de produtos amiláceos industrializados coletadas durante o programa de monitoramento das indústrias de alimentos em Fortaleza, no período de setembro de 2017 a dezembro de 2018. Observou-se contagens de E. coli, S. aureus, B. cereus e Salmonella sp. dentro dos limites estabelecidos pela RDC n°. 12 da ANVISA, em todos os 31 laudos analisados.Os resultados obtidos reforçam a importância da análise microbiológica do produto final como um instrumento essencial de validação e verificação das condições higiênico-sanitárias de processamento de alimentos, reforçando as evidências quanto à implementação de Boas Práticas de Fabricação (BPF) e do sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), que devem ser atestadas durante a inspeção sanitária.

Publicado
2019-12-19