ANÁLISE DOS RISCOS LABORAIS EM ÓRGÃO PÚBLICO DE SAÚDE DE FORTALEZA-CE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54620/cadesp.v17i1.1699

Palavras-chave:

Vigilância em Saúde, Saúde do Trabalhador, Promoção da Saúde, Mapa de Risco

Resumo

Analisar os riscos laborais em órgão público de saúde de Fortaleza-CE. Trata-se de um estudo quali-quantitativo, fundamentado em entrevistas estruturadas em questionário. Foram entrevistados 34 profissionais da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, em abril/2023, que avaliaram satisfatoriamente a qualidade de vida no trabalho. Para tanto, foram considerados os parâmetros satisfação, volume de trabalho e concentração na realização da atividade laboral. Entretanto, foram identificados riscos ambientais e ocupacionais, sendo o ergonômico o risco de maior prevalência. Destaca-se, ainda, a importância da construção do mapa de risco como um instrumento norteador na identificação dos riscos que impactam fortemente na saúde do trabalhador. Faz-se necessário pensar em melhorias das condições de trabalho com o intuito de eliminar e/ou reduzir os riscos presentes nas atividades laborais desses profissionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Pereira de Vasconcelos, Secretaria Municipal de Juazeiro do Norte. Juazeiro do Norte, CE - Brasil.

Mestre em Saúde Pública - FIOCRUZ (PE), especialista em Vigilância Sanitária e Vigilância em Saúde Ambiental, graduação em Gestão em Saúde Pública pela Universidade Regional do Cariri (2007) e Tecnologia de Alimentos pela Faculdade Instituto Centro de Ensino Tecnológico (2005) e graduanda em Direito pela Faculdade de Juazeiro do Norte (UNIJUAZEIRO). Atualmente é tecnóloga de alimentos da Vigilância Sanitária de Juazeiro do Norte-CE. Tem experiência em docência e coordenação na área de Saúde Pública, Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Ciência e Tecnologia de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: higiene, boas práticas de fabricação e manipulação de alimentos, vigilância sanitária e legislações.

Eline Saraiva Silveira Araújo, Secretaria Municipal de Fortaleza. Fortaleza, CE - Brasil.

Graduada em Enfermagem pela Universidade de Fortaleza (2002); Especialista em Saúde da Família (Escola de Saúde Pública do Ceará-2003), Especialista em Educação Profissional na Área de Saúde: Enfermagem (Fundação Oswaldo Cruz-2004) e Especialista em Vigilância em Saúde (Hospital Sírio Libanês-2016) . Mestre e doutora em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde (Universidade Estadual do Ceará, 2013 e 2020 respectivamente). Membro do Grupo de Pesquisa Enfermagem, Educação, Saúde e Sociedade (GRUPEESS). Gerente da Célula de Vigilância Sanitária de Fortaleza e enfermeira do Instituto Dr. José Frota do município de Fortaleza-CE.

Keyteanne Bezerra de Melo Costa, Secretaria Municipal de Fortaleza. Fortaleza, CE - Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (2002). Atualmente é Assessora Técnica do setor de Serviços de Saúde e de interesse à saúde da Célula de Vigilância Sanitária do município de Fortaleza. Possui especialização em Vigilância Sanitária pela Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará, especialização em Gestão em Saúde pela FIOCRUZ e em Processos Educacionais na Saúde com Ênfase na facilitação de Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem pelo Instituto de Ensino e Pesquisa - Hospital Sírio Libanês - IEP/HSL. Foi membro da Coordenação Estadual de Segurança do Paciente e de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde no âmbito da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará, foi Membro do Conselho Municipal de Defesa do Consumidor

Edglesy Carneiro Aguiar, Secretaria de Saúde do Estado do Ceará. Fortaleza, CE - Brasil.

Graduada pela Universidade de Fortaleza(UNIFOR) em Enfermagem (2003). Especialista em Gestão de Serviços e Sistemas de Saúde pela Universidade Federal do Ceará(UFC). Mestre da Universidade Federal do Ceará em Microbiologia Médica, com ênfase no estudo da Imunologia. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde Pública, HIV/AIDS, Saúde Mental, coordenação e professor visitante dos cursos de Hanseníase e Tuberculose pela Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará. Atualmente é Enfermeira da Maternidade Escola Assis Chateaubriand, com assistência a puérpera e gestante de alto risco, bolsista da ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DO CEARÁ, como Coordenadora/Gerente de Projetos da Especialização em Vigilância Sanitária, professora da Pós-Graduação em Auditoria em Saúde pela Estácio/FIC. Participante do grupo de Pesquisa: Genética Molecular - UFC cadastrada no Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil Lattes, com espelho: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/074923240520390. Participação do grupo de Pesquisa: Tecnologias e Empreendedorismo na Prevenção da Violência - UNIFOR

Tereza Emanuelle da Silva Costa, Secretaria de Saúde do Estado do Ceará. Fortaleza, CE - Brasil.

Engenheira de Pesca, pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Mestre em Ciências Marinhas Tropicais pelo Instituto de Ciências do Mar (Labomar/UFC). Especialista em Vigilância em Saúde pelo Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/ HSL).
Professora Visitante e tutora do Curso de Especialização em Vigilância Sanitária da Gerência de Pós-Graduação em Saúde, da Escola de Saúde Pública do Ceará – Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE).

Referências

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: 1988 [Online]. Brasília: 2023. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Ministério da Saúde (BR). Gabinete do Ministro. Portaria n. 3.120 de 1º de julho de 1998. Aprova a instrução normativa de vigilância em saúde do trabalhador no SUS. 1998. [Online]. Brasília: 2023. Disponível em: http://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/portaria-3120-1o-julho-1998.

Ministério da Saúde (BR). Gabinete do Ministro. Portaria Nº 1.823, de 23 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. [Online]. Brasília: 2023. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt1823_23_08_2012.html

Ministério da Saúde (BR). Gabinete do Ministro. Portaria Nº 777, de 28 de abril de 2004. Dispõe sobre os procedimentos técnicos para a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador em rede de serviços sentinela específica, no Sistema Único de Saúde – SUS. [Online]. Brasília: 2023. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2004/prt0777_28_04_2004.html

Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho – SmartLab [homepage na internet]. Notificações Relacionadas ao Trabalho (SINAN) conforme Agravos e Doenças. [acesso em 17 mar 2023]. Disponível em: https://smartlabbr.org/sst/localidade/2304400?dimensao=frequenciaSinan

Ministério da Economia (BR). Secretaria Especial de Previdência e Trabalho. Portaria SEPRT/ME Nº 6.730, de 09 de março de 2020. Aprova a nova redação da Norma Regulamentadora nº 01- Disposições Gerais e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais. [online]. Brasília: 2020.Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-6.730-de-9-de-marco-de-2020-247538988

Ministério do Trabalho e Previdência (BR). Gabinete do Ministro. Portaria MTP Nº 423, de 07 de outubro de 2021. Aprova a nova redação da Norma Regulamentadora nº 17 - Ergonomia. [online]. Brasília: 2021a.Disponível em: https://in.gov.br/en/web/dou/-/portaria/mtp-n-423-de-7-de-outubro-de-2021-351614985

Ministério do Trabalho e Previdência (BR). Gabinete do Ministro. Portaria MTP Nº 422, de 07 de outubro de 2021. Aprova a nova redação da Norma Regulamentadora nº 05 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA. [online]. Brasília: 2021b. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria/mtp-n-422-de-7-de-outubro-de-2021-351613291

Alves NS, Oliveira BA, Carvalho TA de, Carvalho TA de, Sampaio L da S, Almeida RO, et al. Riscos Ocupacionais e seus Agravos aos Profissionais de Enfermagem: Revisão Integrativa da Literatura. casoseconsultoria [Online]. 2021[2023-05-19]; 12(1):e25687. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/casoseconsultoria/article/view/25687

Morais RLGL, Tanan MS, Oliveira JS, Macedo MP, Nery AA, Matos Filho SA. Conhecimentos e condutas de biossegurança entre docentes de enfermagem. J. res.: fundam. care. online 2017; 9(1):137-143. DOI: 10.9789/2175-5361.2017.v9i1.137-143 DOI: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2017.v9i1.137-143

Oliveira GS, Cunha AMO, Cordeiro EM, Saad N. dos S. Grupo Focal: uma técnica de coleta de dados numa investigação qualitativa? Cadernos da Fucamp, v.19, n.41, p.1-13, 2020.

Bahia, Secretaria da Saúde do Estado, Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde, Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde do Trabalhador. Orientações técnicas para ações de vigilância de ambientes e processos de trabalho/SESAB/SUVISA/DIVAST – Salvador: DIVAST, 2012. 56 p: il. (Cadernos de Saúde do Trabalhador. Série Vigilância da Saúde do Trabalhador)

De Melo FMMC, Holanda AG. A ação da vigilância em saúde do trabalhador: Um olhar para o processo saúde-doença dos catadores de lixo do município de Jaguaribe-CE. Cadernos ESP [Online]. 2019[citado 2023-05-15]; 2(2):40-8. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/19. ISSN 1808-7329 (1809-0893)

Wernke AR, Teixeira MCL, Kock BO, Sousa OLO, De Melo ACMC, Sakae TM, et al. Taxas de risco de acidentes de trabalho no Brasil: efeito do Fator Acidentário de Prevenção (FAP)? Ciência & Saúde Coletiva. 2021; 6(12):6079-6088. DOI: 10.1590/1413-812320212612.14822021 DOI: https://doi.org/10.1590/1413-812320212612.14822021

Daldon MTB, Lancman S. Vigilância em Saúde do Trabalhador – rumos e incertezas. Rev. bras. Saúde ocup. 2013;38(127):92-106. DOI: 10.1590/S0303-76572013000100012 DOI: https://doi.org/10.1590/S0303-76572013000100012

Silva I.B, De Paiva JS, Da Silva MVG, Da Silva LA, Machado CP, Daú GL, et al. Ergonomia na central de material e esterilização. Research, Society and Development. 2021;10(10):1-14. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18911 DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i10.18911

Costa M, De Sousa MRP, Sousa LDM, Ibiapino TR. Análise ergonômica do posto de trabalho em uma empresa de engenharia / Ergonomic job analysis in an engineering company. BJB [Online]. 2019[citado 2023-05-17]; 1(2):659-68. Disponível em: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BJB/article/view/2556

Pega F, Náfrádi B, Momen NC, Ujita Y, Streicher KN, Prüss-Üstün AM., et al. Cargas globais, regionais e nacionais de doença cardíaca isquêmica e acidente vascular cerebral atribuíveis à exposição a longas horas de trabalho em 194 países, 2000–2016: uma análise sistemática das estimativas conjuntas da OMS/OIT sobre a carga de doenças e lesões relacionadas ao trabalho. Environment International. 2021;154. DOI: 10.1016/j.envint.2021.106595 DOI: https://doi.org/10.1016/j.envint.2021.106595

Dias EG, Souza SPD, Gomes JP, Caldeira MB, Teixeira JAL. Riscos ergonômicos do ambiente de trabalho do enfermeiro na atenção básica e no pronto atendimento. J. nurs. health. 2020;10(2): e20102004 DOI: https://doi.org/10.15210/jonah.v10i2.18036

Soares WD, Cardoso AG, De Oliveira FRB, De Almeida JLS. Ergonomia do trabalho em profissionais da área da saúde. Rev Cereus. 2023;15(1). DOI:10.18605/2175-7275/cereus.v15n1p49-59 DOI: https://doi.org/10.18605/2175-7275/cereus.v15n1p60-68

Gomes SCS, Caldas AJM. Incidência de acidentes de trabalho com exposição a material biológico em profissionais de saúde no Brasil, 2010–2016. Rev Bras Med Trab. 2019;17(2):188-200. DOI: 10.5327/Z1679443520190391 22. Elseviers MM, Arias-Guillén M, Gorke A, Arens HJ. Lesões por materiais perfurocortantes entre profissionais de saúde: revisão da incidência, transmissões e custos. J Ren Care. 2014;40(3):150-6. DOI: 10.1111/jorc.12050. DOI: https://doi.org/10.5327/Z1679443520190391

Lima AFS, Almeida LWS, Costa LMC, Marques ES, Lima Junior MCF, Rocha KRSL. Reconhecimento dos riscos no trabalho do Consultório na Rua: um processo participativo. Rev Esc Enferm USP. 2019;53:e03495. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2018022603495 DOI: https://doi.org/10.1590/s1980-220x2018022603495

Ferreira AP, Grams MT, Erthal RMC, Girianelli VR, de Oliveira MHB. Revisão da literatura sobre os riscos do ambiente de trabalho quanto às condições laborais e o impacto na saúde do trabalhador. Rev Bras Med Trab. 2018;16(3):360-70. DOI: 10.5327/Z1679443520180267 DOI: https://doi.org/10.5327/Z1679443520180267

Campos LD, Pinto E, Aquino CRC, da Costa GS, Rodrigues YG, Thode Filho S. Levantamento preliminar de riscos ocupacionais: uma aplicação na base onshore de empresa do segmento de hotelaria marítima. Gestão da Qualidade e Segurança de Alimentos [online]. 2021[citado 2023-05-19]; 2(12). Disponível em: https://revistascientificas.ifrj.edu.br/index.php/alimentos/article/view/2067

Hora GPR, Ribas Júnior R, De Souza MA. Estado da Arte das Medidas em Satisfação no Trabalho: Uma Revisão Sistemática. Trends Psychol. 2018; 26(2):971-986. DOI:https://doi.org/10.9788/TP2018.2-16Pt DOI: https://doi.org/10.9788/TP2018.2-16Pt

Klein LL, Pereira BAD, Lemos RB. Quality of working life: Parameters and evaluation in the public service. RAM, Rev Adm Mackenzie. 2019; 20(3). DOI:10.1590/1678-6971/eRAMG190134 DOI: https://doi.org/10.1590/1678-6971/eramg190134

Nanjundeswaraswamy TS, Swamy DR. Relationship between quality of work life and demographical characteristics of SMEs employees. Pakistan Journal of Engineering, Technology & Science. 2014;4(2):125-144. DOI:10.22555/pjets.v4i2.261 DOI: https://doi.org/10.22555/pjets.v4i2.261

Downloads

Publicado

24-11-2023

Como Citar

1.
Ferreira de Oliveira D, Pereira de Vasconcelos M, Saraiva Silveira Araújo E, Bezerra de Melo Costa K, Carneiro Aguiar E, da Silva Costa TE. ANÁLISE DOS RISCOS LABORAIS EM ÓRGÃO PÚBLICO DE SAÚDE DE FORTALEZA-CE . Cadernos ESP [Internet]. 24º de novembro de 2023 [citado 23º de abril de 2024];17(1):e1699. Disponível em: https://cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/1699
Received 2023-07-18
Accepted 2023-08-26
Published 2023-11-24

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)