GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS MEDICAMENTOSOS EM MUNICÍPIOS DO CEARÁ

  • Itatiaia Ferreira Siqueira 5ª Coordenadoria Regional de Saúde do Ceará.
  • Manoel Ribeiro de Sales Neto Universidade Federal do Ceará e Agência de Fiscalização de Fortaleza
  • Marcelo Ivan Rojas Burgoa Secretaria da Saúde do Ceará.
  • Antônio Carlos Araújo Fraga Agência de Fiscalização de Fortaleza.
Palavras-chave: Medicamentos, Gerenciamento, Resíduos, Atenção Primária à Saúde

Resumo

O objetivo deste estudo é descrever os processos adotados para o gerenciamento de resíduos medicamentosos provenientes das Unidades de Atenção Primária à Saúde pertencentes à 5ª Coordenadoria Regional de Saúde do Ceará. É um estudo descritivo, exploratório e qualitativo, realizado em maio de 2019, através de entrevistas semiestruturadas guiadas por roteiro. Este instrumento abordou aspectos relacionados ao fluxo de recolhimento de medicamentos, suas facilidades e dificuldades, bem como as estratégias adotadas para minimizar a geração desse tipo de resíduos. Participaram os coordenadores da Atenção Primária à Saúde e da epidemiologia, além dos farmacêuticos. Os dados foram analisados pela técnica de Análise de Conteúdo. Os resultados demonstram que, apesar de haver o armazenamento de medicamentos vencidos nas Centrais de Abastecimento Farmacêutico, nenhum dos municípios estudados implantou Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. Além disso, os profissionais necessitam de qualificação sobre os processos necessários ao adequado gerenciamento de resíduos. A Vigilância Sanitária é reconhecida pelos entrevistados como responsável pela destinação inal dos resíduos medicamentos. Concluiu-se que o gerenciamento de resíduos medicamentosos apresenta deficiências, despertando a necessidade de implantar processos, como o fornecimento de qualificação para os profissionais de saúde.

Publicado
2019-12-19