ANÁLISE DO FLÚOR NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DO CEARÁ

  • Vera Célida de Oliveira Xavier Bióloga, Pós-Graduada em Vigilância Sanitária pela Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará.
  • Maria Tereza Pinto da Costa Bióloga, Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Antônio Carlos Araújo Fraga Farmacêutico, Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Marcelo Ivan Rojas Burgoa Veterinário, Mestre em Produção e Reprodução de Pequenos Rum pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).
  • Leandra Claudio Almeida Química, Pós-Graduada em Vigilância Sanitária pela Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará.
  • Marina Pereira de Vasconcelos Tecnóloga de Alimentos, Mestre em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz.
  • Tereza Emanuelle da Silva Costa Engenheira de Pesca, Mestre em Ciências Marinhas Tropicais pela Universidade Federal do Ceará (UFC).
Palavras-chave: Fluoretação, Qualidade, Saúde, Água, Abastecimento

Resumo

A fluoretação da água de abastecimento é considerada uma das maiores conquistas da saúde pública do século XX. O objetivo deste estudo foi verificar se o teor de flúor nas águas de abastecimento dos municípios cearenses atende aos padrões estabelecidos na legislação vigente. Trata-se de pesquisa aplicada, quantitativa e descritiva, baseada em dados secundários. A amostra é de 14 dos 184 municípios do Ceará. Os dados da pesquisa foram compilados numa tabela, a partir dos resultados fornecidos pelo Laboratório Central de Fortaleza (LACEN), setor de análises Físico-Químico de água e alimentos da Divisão de Produtos, por meio do Programa VIGIAGUA. O período compreende janeiro a dezembro de 2015, 2016 e 2017, e janeiro a junho de 2018. Os resultados demonstram que 6 (42,86%) dos municípios pesquisados apresentam índices de fluoretação satisfatórios. Os 8 municípios restantes apresentam níveis que oscilam entre 0,4 ppm e 0,10 ppm de Flúor, portanto muito abaixo do mínimo exigido pela Portaria nº 635/Bsb de 0,6 ppmF. Contudo, ao levar-se em consideração a população total da amostra, 82,43% dos habitantes recebem água fluoretada em níveis satisfatórios. Isto permite concluir que, em termos gerais, o teor de flúor nas águas dos municípios cearenses atende aos padrões estabelecidos.

Publicado
2019-12-19