FISIOTERAPIA ANÁLISE DE PROJETOS PEDAGÓGICOS DE CURSOS PÚBLICOS

Conteúdo do artigo principal

Katia Sasaki
Maria Lúcia Teixeira Machado
Aline Guerra Aquilante

Resumo

Este estudo teve objetivo de analisar como as Diretrizes Curriculares Nacionais estão contempladas nos Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC) de graduação em Fisioterapia de universidades públicas do estado de São Paulo, bem como a percepção dos seus coordenadores quanto às estratégias de ensino-aprendizagem utilizadas. Trata-se de pesquisa qualitativa, interpretativa-explicativa, por meio de pesquisa documental de cinco PPC e de entrevistas semiestruturadas com coordenadores de cursos. As análises - documental dos PPC e temática de conteúdo das entrevistas - foram realizadas em dois eixos: Currículo e Perfil Profissional. Os resultados demonstraram que três currículos ainda refletiam concepções conservadoras, organizados por disciplinas fragmentadas, atividades didáticas e metodologias de ensino-aprendizagem tradicionais, não se articulando com os perfis do egresso e profissional; porém, dois PPC têm construído estratégias de reformulação curricular. Os relatos dos coordenadores contribuíram para análise que apontou necessidade de atualizações para avanço da formação profissional em Fisioterapia.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Sasaki K, Teixeira Machado ML, Guerra Aquilante A. FISIOTERAPIA: ANÁLISE DE PROJETOS PEDAGÓGICOS DE CURSOS PÚBLICOS. Cadernos ESP [Internet]. 30º de setembro de 2022 [citado 9º de dezembro de 2022];16(3):33-41. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/864
Seção
Artigos Originais

Referências

Brasil, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES n. 4/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002. Seção 1, p. 11. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Fisioterapia. 2002.

Marães VRFS et al. Distribuição territorial e características dos Cursos de Graduação em Fisioterapia: uma análise no ambiente virtual do Ministério da Educação. Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia. v. 2, n. 3, 2015.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Malta SCL. Uma abordagem sobre currículo e teorias afins visando à compreensão e mudança. Espaço do Currículo, v.6, n.2, p.340-354, maio a agosto de 2013.

Linhares JH, Pinto PD, Albuquerque IMN, Freitas CASL4. Análise das ações da Fisioterapia do NASF através do SINAI no município de Sobral - CE. Cadernos da Escola de Saúde Pública, Ceará 4(2): 32-41, jul./dez. 2010. Disponível em: //cadernos.esp.ce.gov.br/index.php/cadernos/article/view/53

Borges KP. Competências para formação do Fisioterapeuta no âmbito das diretrizes curriculares e promoção da saúde. Revista Saúde e Pesquisa, v. 11, n. 2, p. 347-358, maio/agosto 2018.

Bertoncello D, Pivetta HMF. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Graduação em Fisioterapia: Reflexões. Caderno Educação Saúde e Fisioterapia, v. 2, n. 4, 2015.21.Conselho Nacional de Saúde. CNS no enfrentamento à pandemia. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/especial-cns-no-enfrentamento-a-covid-19.